#dehappyabad | jornalista ariano fã de TVD



Jones Araújo criou seu perfil no #dehappyabad, plataforma digital de relacionamento para os corações trincados, na esperança de encontrar alguém que o faça sentir algo, que faça seu coração vibrar novamente. Não custa tentar.


Revisou o perfil algumas vezes, pensando se deveria alterar algo, adicionar ou excluir alguma informação. Será que a frase está criativa? O perfil realmente diz algo real sobre mim? Então, surgiu uma mensagem de SMS em seu celular, sem remetente, contendo apenas com uma frase:

Eros, cum dilectione mea cor tuum imple

Ele achou estranho, pois se não era a operadora do celular ou o banco, quem estaria enviando SMS em pleno 2020? Sem dar tanta importância, abriu sua playlist favorita e deitou, mergulhando em pensamentos diversos.


Eros, deus do amor e do erotismo, estava em um misto de ócio e reflexão quando escutou o canto entoado por um coração humano. Dos céus ele buscou o dono da melodia ritmada e, após um tempo na busca, avistou a criatura. O jornalista ariano estava em casa ouvindo Capricorniana do Poesia Acústica #3.


A divindade, quase que esquecida pela humanidade, queria ir até o humano, mas precisava ser invocada. Sendo assim, magicamente fez conexão com a tecnologia e enviou as palavras do chamado para o DJ, que ao ler o SMS, fez-se ponte com o ser. Eros foi até o humano e se apresentou, o que gerou susto, receio e descrença.


No entanto, passado a agitação da surpresa o diálogo ganhou espaço. O deus contou que o amor é arte, assim como a música. Que cada encontro entre as pessoas gera um sentimento que possui letra, ritmo e melodia. Desabafou ao dizer que o amor tornou-se objeto vendido e descartado com muita facilidade, em toda parte.


- Criatura, ouvi o chamado do seu coração e vim. Gostaria de conversar contigo e quem sabe ser útil ao seu coração de alguma forma. Deixe-me lhe perguntar: o que é o amor para você?

Para mim o amor é o mais forte e puro sentimento. Ele é capaz de curar e nos atrair coisas boas quando estamos vibrando nessa energia. Mas também pode desenvolver problemas. Um deles é quando deixamos de nos amar, para destinar esse amor para outra pessoa. O outro é quando não há reciprocidade no sentimento e insistimos em querer forçar que as pessoas queiram nos amar.

- Conte-me, como foi que se apaixonastes pela primeira vez?

Foi um misto de sensação. Lembro como se fosse hoje, na 2º série do ensino fundamental, uma menina linda chamada Jéssica. Ela tinha um cabelo liso curto, olhos azuis e um sorriso lindo, além de desenhar super bem. Eu demorei muito para entender que a falta de ar, as borboletas no estômago, a gagueira que surgia do nada, o suar frio eram indícios de que eu estava apaixonado pela menina que eu achava a mais linda da Escola Planeta Mágico. Mas o sentimento não foi correspondido. Fiz uma carta bem romântica, perfumada com meu perfume para ela e advinha: Jéssica mostrou para a professora de geografia que leu e riu da minha cara. Há que fase viu? Eu só tinha 8 anos e já chorava por um sentimento não correspondido.

- Faço-lhe outra pergunta. Caso tenha ocorrido, de que forma descobristes o amor?

Eu já tinha descoberto o sentimento há muito tempo em casa. Sempre fui muito amado pelos meus pais, cresci nessa vibração. Querido, amado, cuidado, superprotegido e apoiado também. Já no amor entre duas pessoas, eu também nunca me esqueço. Descobri quando conheci um rapaz em uma lan house. Eu tinha 16 anos, na fase da descoberta da minha orientação sexual. Ele puxou assunto e ali eu entendi que estava ‘ferrado’, porque primeiro me apaixonei logo de cara e segundo entendi que aquilo não era por acaso. Foi um sentimento que durou 6 anos, de idas e vindas, aprendizado, aventuras, mas não estávamos na mesma intensidade. Hoje somos grandes amigos e confidentes.

- Fiquei intrigado. Para você, qual a diferença entre a paixão e o amor?

Paixão é aquele calor, aquele sentimento que vem da atração sexual também, mas é um fogo que acaba. É aquele contatinho que você adora estar perto, mas se ele não tiver você vai se encontrar com outra pessoa. Quando a chama esfria, o sentimento vai embora também. Mas claro ele pode evoluir para o amor, que vem da fidelidade, cumplicidade, o querer bem, o querer estar perto e querer estar só com aquela pessoa. O sentimento puro, que já não vem mais da atração física, vem do que acho mais bonito: a intimidade. Quando há amor você já não se importa de falar besteira, dançar pelado, acordar com o olho com remela ao lado da pessoa. É um sentimento que, ao meu ver, sempre vai estar ali. Ele tem fim? Acredito que sim, mas demora muito. . - Os seres humanos são engraçados. Fiquei interessado em você e gostaria de ouvir suas histórias. Por favor, me diga uma coisa bela que aprendestes com seus relacionamentos.

Aprendi que sou agradável. Antes de namorar pela primeira vez eu tinha um receio de não saber como agir, de ser chato e tals. Mas em cada relacionamento eu aprendi o quanto sou agradável, tenho boa companhia, engraçado e o melhor namorável (risos), dentro da minha própria individualidade. Nas relações eu aprendi também a ser eu. Que sou carinhoso, fiel, criativo, engraçado e ciumento pra caramba e está tudo bem, esse sou eu e quem está comigo tem que entender que sou assim.

- O amor, assim como a rosa que és linda e perfumada, também possui espinhos. Então, qual aprendizado doloroso você teve através de suas aventuras amorosas?

Aprendi que expectativas é uma armadilha. Não devo criar expectativas. Aprendi também a não confiar demais e não abrir mão da maioria das minhas vontades para agradar o outro. Aprendi a viver o presente, sem a neura de tentar organizar todo o futuro. Viver um dia após o outro. Aprendi também a acreditar no meu sexto sentido, a gente sente quando tem algo errado, ou seja, se a pulga atrás da orelha está dizendo que “tem caroço nesse angu”, é porque realmente tem e devo acreditar nisso. Claro, observando os sinais também. Outra coisa muito importante que aprendi é o quanto sou forte e por mais que infelizmente eu tenha me envolvido amorosamente com pessoas de mau caráter eu sempre consigo me reerguer com experiências para uma próxima tentativa com outra pessoa. . - Entendi. Quantas coisas. Agora uma brincadeira rápida: se o seu coração fosse transformado em uma criatura mágica, baseada em suas experiências com o amor, qual criatura seria e por quê?

Sem dúvidas seria uma criatura forte, quente, provocante, que chamaria atenção por onde andasse. Ela teria o tamanho de um leão, um pelo vermelho reluzente, olhos de fogo, asas de anjo com as penas douradas, soltaria chamas e seria extremamente fiel a mim. Exatamente como eu amo: quando estou amando eu luto, me dedico, tento ser feliz e fazer o outro feliz também. Aproveito os momentos e sou bem fiel. . - Eu vim conversar contigo porque vejo que o mundo mudou muito. As pessoas passaram a ver a paquera, o romance, o amor e o sexo de formas diferentes, nem sempre com verdade. Então, me diga: com tudo que você vivenciou e aprendeu com amores passados, como você se sente em relação a viver um novo amor?

Estou sempre preparado, mas com as experiências passadas aprendi a me amar muito mais. Portanto, para entrar em outra relação por agora, tem que ser com alguém que realmente prove que merece o meu tempo e que eu entenda que merece o meu amor também. Como respondi nas perguntas anteriores, em uma próxima relação eu vou me dedicar no presente, viver de forma leve e com alguém que me dê a sensação de segurança.

Apesar de estar preparado, eu estou deixando rolar, sem procurar (me entende?). Acredito que quando essa pessoa chegar eu vou saber. Já adianto que se for alguém carinhoso, que goste de conversar e tenha um papo massa, seja autêntico, curta se divertir muito e que seja inteligente... já me deixa com os 4 pneus caídos (risos).

- Que interessante! Adorei nossa conversa e estou cheio de reflexões, mas preciso retornar. Gostaria de levar uma mensagem sua sobre o amor para outras pessoas, qual mensagem seria? Se for correspondido se jogue. Curta a beleza desse sentimento, mas tenha cuidado. Nada demais dá certo, saiba dosar.



Eros retornou aos céus e você ficou sabendo um pouco sobre as alegrias e dores que Jones vivenciou através do amor em seus relacionamentos. Ele foi, mas como é curioso, logo irá retornar para conversar com outra pessoa sobre suas aventuras amorosas.

9 visualizações
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now